Arquivo da categoria: Sem categoria

Alguns registros do IV WFE

Agradecemos a todos que acompanharam uma, outras ou todas as atividades de nosso evento, que iniciou na quarta-feira pela manhã com a Mostra de Trabalhos PIBID Filosofia UFRGS. Os bolsistas do PIBID estão de parabéns pela dedicação e pela qualidade de seus trabalhos!

Agradecemos também a oportunidade viabilizada pela Secretaria Municipal de Educação de utilizar o Centro Municipal de Cultura, mais especialmente o Auditório do Atelier Livre, no dia 30 de junho, de Greve Geral.

(Os trabalhos que envolveram temáticas de gênero e feminismo merecem especial atenção: Maria Carolina Gurcaz e Eduardo Telles, na EJA do CAp UFRGS, desenvolveram um “Machistómetro” como material de sondagem e sensibilização da turma, formada apenas por homens, para os temas abordados na sequência didática; Márcia Laux e Rafaela Nunes, de sua parte, mostraram suas oficinas que de “empoderamento lógico” do discurso feminista – o batismo talvez seja ainda fruto da embriaguez causada pelo I Vozes Femininas na Filosofia, em que também se tratou do tema do ensino)

Foi muito bom poder trocar ideias e impressões sobre a crise do ensino de filosofia, sobre as possibilidades de defesa da filosofia no Ensino Médio, sobre estratégias de planejamento e ensino de filosofia na EJA, sobre ensino de história da filosofia, sobre os desafios à formação de professores no contexto atual e sobre seus modos de qualificação.

A primeira tarde do evento foi gravada, mas está disponível somente por dentro da grande bolha azul. Algumas fotos, aqui.

Esperamos poder disponibilizar em breve um dos resultados do evento em formato de e-book, a exemplo do que fizemos com os textos da segunda edição.

Vale destacar que esta semana – na qual também ocorreu o III Encontro Nacional do PIBID Filosofia, foi publicado o e-book resultado do II Encontro Nacional do PIBID Filosofia, sob organização das colegas Ângela Cilento, Marinê Pereira e Patrícia Velasco.

Para finalizar, deixamos aqui dois links com novos números de periódicos especializados em educação, cuja temática nos é de maior interesse:

A revista Em Aberto, em seu volume 30, n. 98 (2017), tem como tema “Políticas públicas para formação de professores”.

Educação e Sociedade, em seu vol 38, n. 139, foca nos desafios impostos com as mudanças na estrutura do Ensino Médio brasileiro.

Boas leituras e até breve!

IV WFE UFRGS – Inscrições abertas

As inscrições como ouvinte do IV Workshop de Filosofia e Ensino estão liberadas no Portal de Extensão da UFRGS.

Ao clicar ao lado do nome do evento (em [INSCREVER-SE]) aparecerá uma opção por ver detalhes. Você poderá então optar por se inscrever no evento todo, ou somente no minicurso do Prof. Edgar Lyra (PUC-Rio), intitulado A retórica como elemento da formação docente – que ocorrerá nas noites de 29 e 30 de junho, a partir das 18:30.

Para detalhes sobre nossa programação consultar este link.wfe-2017-cz

 

Mesa – “A Filosofia na Base Nacional Comum Curricular”

Vocês podem ler abaixo a sinopse da fala do Prof. Edgar Lyra Neto (PUC-Rio), “A Filosofia BNCC: princípios e crônicas”, na mesa redonda sobre a Filosofia na BNCC, juntamente com o Prof. Ronai Rocha:

A Base Nacional Comum Curricular encontra-se agora em consulta nos estados e municípios visando à elaboração de sua terceira e, possivelmente, última versão. Tendo participado da elaboração das duas primeiras versões – como assessor da área de Ciências Humanas, especialmente do componente Filosofia -, disponho-me a compartilhar experiências e decisões envolvidas no processo. Tal compartilhamento deve, bem entendido, fazer-se acompanhar da necessária reflexão sobre o significado do documento no presente momento brasileiro.

Raiz

Nesta postagem é possível acessar um comentário sobre as leituras críticas à primeira versão do documento de Filosofia e aqui a segunda versão do documento.

O ensino de filosofia para jovens e adultos: perspectivas metodológicas

Na tarde do dia 13/07, primeira do evento, os professores Gustavo Coelho (Colégio Israelita Brasileiro e no Colégio São Judas Tadeu) e a professora Rúbia Vogt (CAp/UFGRS) falarão sobre didática da filosofia na modalidade de ensino de jovens e adultos. A mediação da discussão fica por conta da professora Inara Zanuzzi (Filosofia/UFRGS).

Abaixo o resumo da comunicação do professor Gustavo, intitulada “Instrumentalização e Aprendizado Ativo no Ensino de Jovens e Adultos”

Quando se trata de definir conteúdos e métodos para um programa de ensino na educação
básica, todo professor deveria se fazer, pelo menos, duas perguntas: (1) “Quais são os meus alunos?” (2) “Quais são as contribuições que minha disciplina pode dar para a formação de um indivíduo autônomo?”. No contexto do Ensino de Jovens e Adultos (EJA), a resposta à primeira pergunta coloca grandes desafios para a definição de um programa de ensino a partir de uma resposta à segunda pergunta. Isso porque os alunos de EJA formam um grupo, sob diversos aspectos, bastante heterogêneo e, com muita frequência, com consideráveis lacunas no desenvolvimento de sua capacidade de leitura, análise e redação de textos, argumentativos ou não. Além disso, a maioria desses alunos dispõe de pouco tempo extraclasse para se dedicar ao estudo e chega às aulas após uma cansativa rotina de trabalho. Frente a esse diagnóstico, pretende-se defender que a disciplina de Filosofia, enquanto atividade eminentemente argumentativa, deve desempenhar um importante papel de instrumentalização entre os alunos do EJA – sem perder de vista as contribuições genuinamente filosóficas que ela pode e deve dar – e que isso deve ser feito, em geral, através de estratégias de aprendizado ativo, algumas das quais serão sugeridas, que otimizam o tempo do aluno e respeitam o seu ritmo de aprendizado.