Arquivo da categoria: Interdisciplinaridade

Registros do II Workshop de Filosofia e Ensino da UFRGS

É com grande alegria que disponibilizamos para download o e-book Epistemologia e Currículo: registros do II Workshop de Filosofia e Ensino da UFRGS.

O Prólogo, que reproduzimos abaixo, foi escrito pela Prof.ª Elisete Tomazzeti (UFSM), a quem agradecemos, bem como a todos os autores e demais envolvidos no processo desta publicação. Esperamos que seja uma leitura frutífera!

Comentários e compartilhamentos são bem-vindos.

***

Filosofa e EnsinoEpistemologia e Currículo. Quatro expressões – cada uma em sua especificidade abarca um enorme conjunto de sentidos, ideias, perspectivas. Juntas, compõem um universo de possibilidades de entendimento e de caminhos a serem percorridos.

Filosofia e Epistemologia são temas próprios aos estudantes e pesquisa- dores de Filoso a, que ao longo do tempo são convocados para seminários, congressos e encontros em diferentes regiões e em diferentes instituições de ensino superior no Brasil.

Ensino e Currículo, de longa data, pertencem ao campo da Educação; daqueles que estão implicados com as questões de docência, escola, ensino, aprendizagem, entre outras.

Cada um destes pares temáticos tem habitado, no Brasil, ao menos, lugares e discursos específicos, construindo um dualismo que por vezes parece indissolúvel. Lugar de filósofo, envolvido com Filosofia e Epistemologia, e lugar de professor de filosofia, ou talvez de filósofo da educação e do ensino, envolvido com Ensino e Currículo.

Dois campos teóricos importantes, que nesta obra, organizada por Gisele Secco, foram chamados ao diálogo, para lançar luzes sobre possibilidades interdisciplinares, no âmbito das aulas de Filosofia, na escola básica.

Este livro é resultado de um admirável esforço que Gisele vem fazendo, desde algum tempo, de reunir professores pesquisadores de Lógica, Epistemologia e Ensino de Filosofia em Workshops, na Universidade Federal do Rio Grande dos Sul, no Campus do Vale, nos dias frios do inverno gaúcho. Desta forma, abre um valioso espaço para que novas perspectivas e novas abordagens, de caráter filosófico, possam repercutir significativamente entre os envolvidos com o ensino da filosofia.

É preciso fazer um alerta ao leitor! Não procure, ao ler este livro, um o condutor que, em linha reta, costura e faz aparecer sua intencionalidade. Adentre a densidade dos textos, seu caráter especializado, e, então, aos poucos, perceberá que, no conjunto, há uma composição, feita de pequenos nós, que potencializa problematizações ao leitor. São tentativas de pensar sobre o Interdisciplinar no campo da Filosofia e de seu Ensino. Outros textos, mais explícitos, não menos densos, oferecem reflexões potentes sobre o tema Currículo e Ensino, os quais brotam das experiências de sala de aula, de estudo e pesquisa de seus autores.

Para quem está interessado em pensar filosoficamente sobre Filosofia e seu Ensino, este livro é um convite e, já, um exercício!

Santa Maria, junho de 2016.

***

capa

Escolas e ocupações: sobre a escola que virá – encerramento do III WFE

A tarde de encerramento de nosso evento terá duas atividades.

A primeira delas é a palestra do nosso querido Professor Ronai Rocha, da UFSM, intitulada “Linguagens e métodos: de um ponto de vista sociológico”. O resumo pode ser acessado aqui.

A segunda, última do evento e para nada menos importante, é a roda de conversa sobre os movimentos de ocupação das escolas brasileiras.

Esta atividade está sendo articulada em colaboração com o Professor Rafael Padilha (EMEF José Loureiro da Silva), e contará com a presença de alunos e professores que participaram de ocupações em escolas de Porto Alegre, além da contribuição do Prof. Edgar Lyra, que esteve em contato direto com ocupações na cidade do Rio de Janeiro e, claro, todos os que se sentirem motivados a colaborar com a construção de uma compreensão dos processos políticos e pedagógicos em jogo nesses movimentos.

A propósito, o professor Edgar enviou este vídeo intitulado Ocupa EM, produzido pelos NINJA, sobre as ocupações no Rio, para quem quiser conferir.

Vamos pensar nisso juntos e com todas as ferramentas que temos?

20160516123536_1223028-493414

(Foto de Antonio Paz, extraída do site do Jornal do Comércio)

Informações finais

Informamos que as inscrições pelo Portal de Extensão estão novamente disponíveis. Há ainda cerca de 10 vagas.

O evento ocorre apenas no turno da tarde, iniciando amanhã às 14h, no Pantheon do IFCH, Campus do Vale. Aqui você pode acessar um mapa do IFCH.

A programação pode ser visualizada neste link. Haverá uma pequena modificação apenas: a mesa redonda de sexta-feira a tarde ocorrerá às 10:30 da manhã do mesmo dia, e não haverá apresentação de pôsteres.

Por outro lado, o evento encerrará com uma breve apresentação do CLEF – o Centro Luso-Brasileiro de Ensino de Filosofia, uma nova e interessante plataforma contendo

Qualquer dúvida escreva para pibidintervale@ufrgs.br

street

 

 

 

“Uma defesa da disciplinaridade” – Mesa redonda

Na quarta-feira (22/07) à tarde serão apresentados dois trabalhos na mesa redonda “em defesa da disciplinaridade”.

fotoexpo (1 of 1)A ideia principal deste momento do evento é contrabalancear argumentos contrários e favoráveis aos agenciamentos interdisciplinares no currículo do ensino médio, com especial atenção aos modos pelos quais a filosofia é pensada em tais articulações.

O professor Ronai Rocha falará sobre interdisciplinaridade e transversalidade mais ou menos nos moldes do que foi apresentado em sua palestra do outono de 2014 na UFRGS.

Já a professora Marta Vitória de Alencar apresentará uma comunicação intitulada “A disciplinaridade da Filosofia: entre o possível e o necessário”. Eis seu resumo:

Desde o surgimento das primeiras escolas experimentais no Brasil, na década de 60, estão colocadas em pauta na cena da Educação brasileira questões em torno da integração dos saberes e conhecimentos, e consequentemente das disciplinas. Nessa experiência constituiu-se um trabalho de vanguarda pedagógica que gradativamente foi ressoando na academia, que colocou em voga certas demandas para as práticas escolares. No entanto, o que se observa na prática é um certo campo de tensão entre a idealização de uma integração de saberes e conhecimentos e as condições de possibilidade para sua efetiva integração.

Nesse tensionamento, pretende-se explorar as noções de disciplinaridade e interdisciplinaridade numa perspectiva de problematização das formas de organização do currículo que operam com o desejo de integração dos saberes e conhecimentos, em particular a própria noção de integração como sendo aquilo que despertaria o interesse do aluno, levando-o a um processo de escolarização mais significativo, e consequentemente a um maior engajamento com o conhecimento e o mundo.

Nossa problemática com o ensino de filosofia se situa portanto na cena escolar, isto é, no campo de tensões e demandas colocadas para a filosofia, resultantes do encontro das especificidades da filosofia e certas expectativas sobre o que deve ensinar a filosofia na escola.

“Teatro, é lógico!” – Resumo da oficina de leitura dramática

Segue o resumo da oficina de leitura dramática, que será realizada nos dois primeiros dias do II WFE:

“Com ‘Teatro, é Lógico!!!’, Laédio Martins e Raquel Guerra propõem, no primeiro dia de oficina, uma leitura dramática do texto ‘O Amor é Uma Falácia’, do norte-americano Max Shulman.

No texto, um estudante de direito perspicaz e calculista tenta conquistar o amor da bela Polly Espy, namorada do seu então colega de quarto em uma comunidade universitária, Petey Bellows, um sujeito dado a manias. Considerando a moça pouco inteligente, o estudante decide dar à sua pretendente um curso de Lógica, no qual aborda as falácias mais comuns no discurso cotidiano.

Na oficina, serão trabalhados alguns aspectos da expressão corporal e vocal direcionados para uma audição do texto que se dará aos participantes do evento.

No segundo dia de oficina serão realizados exercícios de construção de leitura dramática com os participantes, utilizando-se excertos de peças gregas antigas, diálogos platônicos e textos dramatúrgicos variados. ”

 

6051109424_85b1277b0b_o

Inscrições e programação

Estão abertas as inscrições para o II Workshop de Filosofia e Ensino, no Portal de Extensão da UFRGS. Quem não possui vínculo com a universidade deve realizar um cadastro.

Chaves - Foto de Gisele Secco

Foto: Gisele Secco

A programação do evento  (que ocorrerá todos os dias no Pantheon do IFCH, Campus do Vale) é a seguinte:

Segunda-feira, 20/07:

14h – Cerimônia de abertura

 14:30 Conferência de abertura do evento

 “Qual epistemologia, qual currículo?– Ronai Pires da Rocha (UFSM)

 Apresentação e moderação: Eros Moreira de Carvalho (UFRGS)

16:45 Oficina de leitura dramática – Raquel Guerra e Laédio Martins (UFSM)

Terça-feira, 21/07:

14h: Mesa redonda – Os diálogos platônicos no currículo de filosofia” – Daniel Simão Nascimento (UFPel) e Renato Matoso Brandão (UFRJ)

 Apresentação e moderação: Priscilla Tesch Spinelli (UFRGS)

16:15 Oficina de leitura dramática – Raquel Guerra e Laédio Martins (UFSM)

Quarta-feira, 22/07:

14h: Mesa redonda – “Filosofia e interdisciplinaridade no currículo escolar” – Marta Vitória de Alencar (USP) e Ronai Pires da Rocha (UFSM) 

Apresentação e moderação: Leonardo Ruivo (PUCRS)

16:15 Oficina de lógica e argumentação – Nastassja Saramago Pugliese (UGA/USA)

Quinta-feira, 23/07:

14h: Mesa redonda – “Lógica e interdisciplinaridade: conexões curriculares” – Frank Thomas Sautter (UFSM) e Nastassja Saramago Pugliese (UGA/USA)

Apresentação e moderação: Gisele Secco (UFRGS)

16:15 Oficina de lógica e argumentação – Nastassja Saramago Pugliese (UGA/USA)

Sexta-feira, 24/07:

14h: Mesa redonda – Relações interdisciplinares nas práticas de formação de professores” – Elisete Medianeira Tomazetti (UFSM) e Gisele Secco (UFRGS)

Apresentação e moderação: Nastassja Saramago Pugliese (UGS/USA)

“Lógica e interdisciplinaridade: conexões curriculares”

Hoje disponibilizamos os resumos das palestras de Frank Thomas Sautter (UFSM) e Nastassja Saramago Pugliese (USA/UGA), a serem apresentadas na tarde de quinta-feira, dia 23/07/2015. O tema é específicamente vinculado ao currículo da disciplina de Filosofia, em suas conexões com a Língua Portuguesa e a Matemática. A mediação desta mesa redonda será realizada por Gisele Secco (UFRGS).

“Compreensão lógica e compreensão cotidiana”

Frank Thomas Sautter

Quaisquer diferenças entre orações logicamente equivalentes são irrelevantes para a Lógica. Contudo, orações logicamente equivalentes podem exibir diferentes níveis de compreensão. Examinarei diversos casos de orações logicamente equivalentes, porém distintas quanto ao seu nível de compreensão, especialmente aquelas que contêm negação ou quantificação.

Outro recorte

Foto: Gisele Secco

“O método de interpretação natural e o uso dos números inteiros não-negativos como universo de discurso: intersecções entre o ensino de lógica e a matemática elementar”

Nastassja Saramago Pugliese

A partir do método de interpretação natural para construção de contraexemplos a argumentos na lógica de predicados, procurarei mostrar que a opção por um universo de discurso é uma característica que torna o procedimento de análise de estruturas argumentativas propenso à atividade interdisciplinar. Entretanto, salientarei que nem todas as disciplinas são adequadas para cumprir este papel. Enquanto as disciplinas de cunho empírico geram problemas para a eficácia do método, a matemática é não só adequada como também aliada do procedimento de interpretação natural. O uso dos números inteiros não-negativos como universo de discurso gera uma situação de aprendizagem que é benéfica tanto para o ensino da matemática, ao exigir do aluno o raciocínio matemático descritivo e relacional, como para a lógica por facilitar o entendimento das estruturas argumentativas e da noção de argumento inválido.